Beneficiário: Gabriel de Jesus Firmino
Mãe entrevistada: Suely Maria Aparecida de Jesus Firmino

"Aos fundadores do ICRIM, eu diria muito obrigado por plantar uma semente dentro de uma terra que estava secando e hoje ela está brotando."



1. Desde quando você têm filhos sendo atendidos pelo ICRIM?
R.: Desde o ano de 2009, faz 8 anos que estou na Instituição.

2. Como você se sente sendo atendido pelo ICRIM?
R.: Cheguei com baixa autoestima, sem perspectiva. Quando entrei estava sofrendo muito devido o preconceito que meu filho Gabriel sofria, devido dislexia e outros problemas. Ele começou a passar em consulta com a Psicóloga e através dos atendimentos foi melhorando. Eu comecei a participar das oficinas pelo ICRIM e comecei a me realizar enquanto pessoa. Comecei a costurar, a fazer artesanato, aumentou a minha autoestima e a do meu filho. Através dos Atendimentos da Psicóloga e do Serviço Social começamos a aprender a nos posicionar e a nos desenvolvermos, interagindo e adquirindo segurança. Gabriel começou a estudar Filosofia, Português e foi evoluindo. A parte da saúde também melhorou bastante, através do uso dos medicamentos fornecidos pelo ICRIM. Aprendemos também que não podemos depender do ICRIM a vida inteira, temos que nos desenvolver, aprender a andar com nossas próprias pernas, aprender a correr atrás dos nossos direitos.

3. No que o ICRIM mais te ajuda?
R.: No fornecimento de medicamentos e na cesta básica, além do atendimento Psicológico e no atendimento com a Assistente Social.

4. Se você pudesse deixar uma mensagem aos profissionais que inventaram o ICRIM, você diria o que?
R.: Diria muito obrigado por plantar uma semente dentro de uma terra que estava secando e hoje ela está brotando.