Nossa Causa


Dar apoio e assistência à criança e ao adolescente com doenças renais, e suporte e
orientação à sua família, fazendo com que o resultado seja a melhora da sua qualidade de vida.

Nossa História

Nossa História


Em 1995 um grupo de profissionais especialistas em nefrologia pediátrica, em conjunto com empresários voluntários e pais de pacientes, criaram uma célula de apoio à criança e ao adolescente com doenças renais e à sua família. Entre seus projetos iniciais, o grupo criou uma unidade de hemodiálise exclusivamente pediátrica em parceria com o Hospital São Paulo.

Essa célula cresceu e se transformou no que hoje é o ICRIM.

Uma entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo estar ao lado, orientando e provendo necessidades da criança e do adolescente com doenças renais.

Nosso propósito é cuidar de quem está em tratamento, além de orientar os pais sobre as implicações e consequências das doenças renais.


Muitas famílias chegam até nós apenas para pedir orientação e informações. De direitos do paciente até medicamentos não ofertados pelo SUS, o ICRIM busca providenciar tudo o que estas crianças e os adolescentes precisam. Passam por nós cerca de 350 crianças e adolescentes por ano. E para todos eles oferecemos o que temos de melhor em assistência.

Em paralelo criamos programas sociais destinados às famílias dos assistidos, como forma de complementar nossa entrega à sociedade. São atividades de lazer, cultura e capacitação, disponíveis a quem desejar.

Nós entendemos que crianças e adolescentes "felizes" são sinônimo de família "feliz". E essa é nossa meta.

Gostaria de ajudar o ICRIM?

Depoimentos que emocionam


Fique por dentro

"Aos fundadores do ICRIM, eu diria muito obrigado por plantar uma semente dentro de uma terra que estava secando e hoje ela está brotando."



1. Desde quando você têm filhos sendo atendidos pelo ICRIM?
R.: Desde o ano de 2009, faz 8 anos que estou na Instituição.

2. Como você se sente sendo atendido pelo ICRIM?
R.: Cheguei com baixa autoestima, sem perspectiva. Quando entrei estava sofrendo muito devido o preconceito que meu filho Gabriel sofria, devido dislexia e outros problemas. Ele começou a passar em consulta com a Psicóloga e através dos atendimentos foi melhorando. Eu comecei a participar das oficinas pelo ICRIM e comecei a me realizar enquanto pessoa. Comecei a costurar, a fazer artesanato, aumentou a minha autoestima e a do meu filho. Através dos Atendimentos da Psicóloga e do Serviço Social começamos a aprender a nos posicionar e a nos desenvolvermos, interagindo e adquirindo segurança. Gabriel começou a estudar Filosofia, Português e foi evoluindo. A parte da saúde também melhorou bastante, através do uso dos medicamentos fornecidos pelo ICRIM. Aprendemos também que não podemos depender do ICRIM a vida inteira, temos que nos desenvolver, aprender a andar com nossas próprias pernas, aprender a correr atrás dos nossos direitos.

3. No que o ICRIM mais te ajuda?
R.: No fornecimento de medicamentos e na cesta básica, além do atendimento Psicológico e no atendimento com a Assistente Social.

4. Se você pudesse deixar uma mensagem aos profissionais que inventaram o ICRIM, você diria o que?
R.: Diria muito obrigado por plantar uma semente dentro de uma terra que estava secando e hoje ela está brotando.

Leia matéria completa

Fique por dentro

"O ICRIM me ajudou a ter acesso aos medicamentos para tratamento da Doença Renal, porque as medicações são caras e não são fornecidas na rede pública de saúde."



1. Desde quando você têm filhos sendo atendidos pelo ICRIM?
R.: Desde 2015

2. Como você se sente sendo atendido pelo ICRIM?
R.: Sempre fui bem atendida, o Luan é bem tratado. Quando chegou na instituição tinha problemas pessoais, que foram resolvidos no decorrer do Atendimento Social. Foi solucionado problemas, a maneira de pensar e agir diante das dificuldades enfrentadas foi sendo mudado. Conforme Luan foi crescendo ele foi percebendo que no ICRIM tem pessoas com o mesmo problema que ele e desta forma, ele mudou seu comportamento e a maneira de pensar a respeito da sua doença, começou a se relacionar com adolescentes da sua idade que passam no ICRIM, isso ajudou muito, porque ele começou a enfrentar a sua doença e tomar as medicações continuamente, anteriormente não tomava as medicações regularmente e reclamava dizendo que não precisava. Nos atendimentos sociais tive clareza, entendimento e orientações de como deve recorrer para ter acesso aos seus direitos e garantias que devem ser garantidos para minha família e meu filho.

3. No que o ICRIM mais te ajuda?
R: O ICRIM me ajudou a ter acesso aos medicamentos para tratamento da Doença Renal, porque as medicações são caras e não são fornecidas na rede pública de saúde. Por não ter condições financeiras, anteriormente recebia doação dos medicamentos dos meus familiares, mas nem sempre recebia essa ajuda para comprar, no que prejudicava o tratamento do meu filho, porque tinha que parar de tomar os medicamentos.
Os programas sociais que a Instituição oferece são ótimos para as famílias, bem como o atendimento Psicológico, odontológico, cesta básica e o curso de geração de renda. Sou grata a todos por contribuir no desenvolvimento e bem estar da minha vida e minha família.
O atendimento social me fez refletir e tomar atitudes na minha vida que mudaram a minha maneira de pensar e agir. Aprendi a correr atrás dos meus direitos e ser cidadã de direitos.

4. Se você pudesse deixar uma mensagem aos profissionais que inventaram o ICRIM, você diria o que?
R: Que Deus abençoe a cada profissional que fez a Instituição, que esse trabalho continue sempre assim, porque ajuda muitas famílias que precisam, reconheço que o ICRIM é um apoio e essencial na minha vida. É de fundamental importância para o tratamento do meu filho.

Leia matéria completa